Precisava compartilhar com vocês sobre simplesmente umas das melhores viagens da minha vida.
Dia 28/4 eu fui para Iporanga com os meus amigos e foi uma experiência completamente inusitada para mim. Quando eu era pequena ainda fazia algumas viagens mais diferentes pelo Brasil, mas na época eu achava muito chato, tanto que confesso que minhas expectativas eram bem baixas para essa viagem, achei que ia estar um frio do capeta (e estava) que eu ia me molhar inteira nas cavernas, ficar no frio, pegar uma pneumonia e ia morrer (sim, sou exagerada desse jeito mesmo), no final o frio, a roupa molhada e o resfriado foram detalhes nessa viagem. Pera, vou contar como foi…

FullSizeRender (84)FullSizeRender (90)FullSizeRender (97)FullSizeRender (88)

Ficamos 3 dias em Iporanga, no primeiro dia fomos no Quilombo Ivaporanduva, a comunidade quilombola mais antiga do Vale do Ribeira e CARAAAA, não sei nem explicar, essa experiência foi tão choque de realidade, eu aprendi tanto com eles que eu não sei nem como agradecer essas pessoas tão boas e guerreiras.

Sem dúvida levar comigo aprendizados de viagens é a minha parte preferida das viagens, e eu e meus amigos levamos muitas coisas pra vida dessa comunidade quilombola.

Ps:. Queria comentar também que MEU DEUUUS QUE COMIDA SENSACIONAL QUE EU COMI LÁ !! Sem falar da banana orgânica direto do pé que foi a melhor banana da minha vida !

FullSizeRender (86)FullSizeRender (99)FullSizeRender (100)FullSizeRender (92)

No segundo dia fomos para o Petar, o Parque Estadual do Alto do Ribeira, que possui uma das maiores extensões preservadas de Mata Atlântica original, uma das maiores concentrações de cavernas do planeta (mais de 350) e uma imensa quantidade de cachoeiras. Que lugar lindo viu, me senti a aventureira dos Alpes alpinos, foi loucura loucura, com direito a 15 pessoas rastejando em um buraco no escuro, pular em uma cachoeira com um clima gosto de 13ºC e sensação de -3ºC, histórias de gente que ficou louca depois de passar muito tempo dentro de uma caverna enquanto estávamos dentro das cavernas, se sentir a Alice passando em um buraco menor que o outro e ficar molhada naquele clima gostoso que estava no caminho de volta para o alojamento.
Visitar o Petar é com certeza um passeio que eu recomendo para todo mundo, é do lado de São Paulo e a experiência é simplesmente única.

FullSizeRender (96)FullSizeRender (93)FullSizeRender (89)

A noite, no mesmo dia, fizemos uma fogueira naquele frio de congelar com música e muito amor que para ficar perfeita só faltou os marshmallows, sim porque nada é perfeito se não tiver comida.
No último dia teve direito a roupa molhada no friozinho congelante again quando fomos nos aventurar no boia cross, confesso que esperava mais aventura nele, mas foi bem legal mesmo assim.

FullSizeRender (83)

Ah nem sei o que falar, apenas sentir saudades, vou sempre levar essa viagem na minha memória. Talvez o destino atípico, talvez a companhia, talvez a comida, talvez um pouco de tudo contribuiu para tudo ser tão memorável e eu agradeço a todos que colaboraram para essa viagem ser tão demais.
Como fui respirar o bom ar, não tinha sinal, nem wi-fi, então fiquei durante toda viagem com o celular guardado e eu não levei minha câmera, portanto não tirei muitas fotos, então as fotos foram uma colaboração, tem um pouquinho de foto de cada um dos meus amigos que arrasam com a câmera.

E por fim, espero que com esse post vocês tenham conseguido sentir um pouco do que foi essa viagem.

Créditos das fotos ao Pedro Tagiki, a Rebeca Chaves e a Malu Mões

Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Tumblr